Padroeiro

São_João_BatistaSão João Batista

24 de junho

“O Precursor do Messias”
“E tu, menino serás chamado de Profeta do Altíssimo, pois irás adiante do Senhor preparar-lhe os caminhos.” (Lucas 1,76)

No alto das montanhas da Judeia, em Hebron, distante oito milhas de Jerusalém, vivia um casal santo, e que diante de Deus eram justos – Zacarias e Isabel.

Apesar de estarem avançados na idade, nutriam em seus corações o desejo de gerar um filho, um descendente. Eram considerados malditos, pois não tinham filhos.

O Sacerdote Zacarias, num certo dia em que estava desempenhando as funções de seu ministério, no templo de Jerusalém, entrou no Santuário para queimar incenso, enquanto o povo orava. De repente apareceu-lhe, então à direita do altar dos perfumes, um anjo.

Ao perceber o espanto de Zacarias, o anjo lhe disse: “Não temas, Zacarias, por que Deus ouviu tua oração. Tua mulher dar-te-á um filho, a quem darás o nome de João.

Muitas coisas falou o anjo a respeito do menino, inclusive que ele seria cheio Espírito Santo, e que iria adiante do Messias.

Zacarias questionou o anjo e argumentou a idade avançada dele e da sua esposa Isabel. O anjo respondeu: “Eu sou Gabriel e meu lugar é diante de Deus; e é dele que trago tal mensagem. Porém como não acreditaste em minhas palavras, ficarás mudo, até o dia em que tudo isso se cumprir” (Lc 1,19-20).

Em cumprimento do que fora predito, Zacarias sai do templo sem conseguir pronunciar nenhuma palavra. Retornando para casa depois de alguns dias, pôde confirmar a gravidez de sua esposa, pois para Deus nada é impossível.

Em Nazaré, Maria é visitada também por Gabriel, e tão logo ouve a saudação do anjo, profere o sim da redenção da humanidade, por Cristo Jesus. O anjo comunica sobre a gravidez de sua parenta Isabel em seu 6º mês Maria vai às pressas até Hebron. Eis que um encontro memorável estava para acontecer: o encontro do Precursor e do Messias, cada qual no ventre de sua mãe.

Tão logo Isabel ouve a saudação de Maria, o seu ventre pula de alegria e ela exclama: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito o fruto do teu ventre, donde me vem à honra de vir a mim a mãe do meu Senhor?” (Lc 1,42-43)

João Batista foi batizado no ventre de sua mãe, ao ouvir a saudação de Maria; o estremecer foi provocado pela ação do Espírito Santo de Deus.

Lá na casa de Isabel e Zacarias, a mãe do Senhor permanece por alguns meses servindo das mais diversas maneiras.

Pouco antes do nascimento do menino, Maria retorna para Nazaré deixando os corações dos parentes, apertados de saudade e gratidão.

Isabel dá à luz ao menino, toda a vizinhança correu para saudar o filho primogênito do sacerdote Zacarias.

No oitavo dia todos se reuniram para a circuncisão do menino, os que estavam presentes sugeriram que o menino tivesse o nome do pai, Isabel contestou e disse: “Ele se chamará João” (Lc 1,60). Zacarias estando mudo escreveu o nome de João numa tábua, confirmando o nome da criança, e imediatamente voltou a falar, e cheio de alegria no Espírito Santo exclamou: “Bendito seja o Senhor de Israel!” (Lc 1,68).

A cada dia o menino crescia e enchia de encanto os vizinhos e moradores das montanhas da Judeia que exclamavam: “Que será um dia este menino?” (Lc 1, 66).

João era um jovem orante e atuante que movido pelo Espírito Santo, foi para o deserto em busca de santificação. Trajava vestes de pele de camelo, tinha os rins cingidos com uma cinta de couro e alimentava-se de gafanhotos e mel silvestres (cf. Mt 3,4; Mc 1,6). Santo Agostinho diz que, em São João Batista o mundo teve pela primeira vez a experiência do Eremitério.

Quando completou 30 anos, recebeu uma ordem divina para deixar o deserto e anunciar a vinda do Messias e preparar-lhe o caminho.

João percorre a região do Jordão pregando um batismo de penitência para remissão dos pecados. João era um profeta que no verdadeiro sentido da palavra, anunciava e denunciava.

Sobre João, o próprio Cristo disse: “Que entre os nascidos de mulher, não há maior profeta que João Batista” (Mt 11,11).

Jesus vai ao Jordão, vai ao encontro de João, era dele que o próprio João havia dito: “Eu batizo na água, para a penitência, mas vem outro, que é mais poderoso que eu, e de quem eu não sou digno de desatar as correias das sandálias, ele vos batizará no Espírito Santo e no fogo” (Jo 1, 26-27).

Ao avistar o Senhor, João ficou extasiado e disse: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira os pecados do mundo” (Jo 1, 29). Cumpria-se o que tinha Isaias profetizado. Jesus entra na água, João não se acha digno de batizá-lo, Jesus insiste para que o rito permaneça. O Espírito Santo desceu sob a forma de uma pomba o céu se abriu, e do céu ouviu-se uma voz: “Este é meu filho muito amado, em que pus minha complacência” (Mt 3, 17).

Jesus segue seu caminho e João sua missão de denunciar as injustiças, o abuso de poder, as imoralidades, as ofensas as leis de Deus.

João os chama de serpentes, víboras, e pelo seu tom ameaçador e denunciador é preso por Herodes.

O Rei Herodes vivia com a esposa de seu irmão, e com a maior naturalidade desfilava com ela pelos palácios da corte.

João condena a atitude dos dois, por adultério, e os chama a conversão e penitência. A amante de Herodes influencia a filha a pedir a cabeça de João Batista numa bandeja de prata. Herodes atende, e João é decapitado.

João quer dizer “Jhwn (Javé) mostra sua benevolência.”

João Batista é aquele que fecha o Antigo Testamento e abre o Novo, apresentando a todos a figura do Cristo Redentor.

Oração a São João Batista

Ó glorioso São João Batista, vós fostes es¬colhido para ser o guardião de nossa Paró¬quia e Cidade. Queremos neste momento em que celebramos a festa do seu nascimento, diante de vossa imagem venerada nessa Igre¬ja Matriz, renovar nossa entrega a vossa proteção e vos reconhecer como nosso padroeiro e intercessor junto ao Senhor. Velai pelo nosso povo e defendei-o de todo mal. Dai-nos força e coragem nos sofrimentos, ânimo e firmeza nas dificuldades, paciência e resignação nas enfermidades. Intercedei por nossos governantes, para que, com a luz do Espírito Santo, defendam os interesses do povo. Protegei a nossa Igreja e os habitan¬tes desta cidade; e intercedei por nós, para que possamos em todos os momentos, orar e lutar por um futuro melhor. Ajudai-nos a sermos fiéis e perseverantes na nossa missão, defendendo como vós a causa do Reino. E que, após a nossa peregrinação terrena, possamos