Paróquia São João Batista - Meriti

Comunidade Nossa Senhora de Fátima

N-Sra-de-Fatima_DPadroeira:

Nossa Senhora de Fátima ou Nossa Senhora do Rosário de Fátima
13 de Maio

A 13 de Maio de 1917, três crianças apascentavam um pequeno rebanho na Cova da Iria, freguesia de Fátima, conselho de Vila Nova de Ourém, hoje diocese de Leiria-Fátima.

Chamavam-se Lúcia de Jesus, de 10 anos, e Francisco e Jacinta Marto, seus primos, de 9 e 7 anos.

Por volta do meio dia, depois de rezarem o terço, como habitualmente faziam, entretinham-se a construir uma pequena casa de pedras soltas, no local onde hoje se encontra a Basílica. De repente, viram uma luz brilhante; julgando ser um relâmpago, decidiram ir-se embora, mas, logo abaixo, outro clarão iluminou o espaço, e viram em cima de uma pequena azinheira (onde agora se encontra a Capelinha das Aparições), uma ‘Senhora mais brilhante que o sol’, de cujas mãos pendia um terço branco.

A Senhora disse aos três pastorinhos que era necessário rezar muito e convidou-os a voltarem à Cova da Iria durante mais cinco meses consecutivos, no dia 13 e àquela hora. As crianças assim fizeram, e nos dias 13 de Junho, Julho, Setembro e Outubro, a Senhora voltou a aparecer-lhes e a falar-lhes, na Cova da Iria. A 19 de Agosto, a aparição deu-se no sítio dos Valinhos, a uns 500 metros do lugar de Aljustrel, porque, no dia 13, as crianças tinham sido levadas pelo Administrador do Conselho, para Vila Nova de Ourém.

Na última aparição, a 13 de Outubro, estando presentes cerca de 70.000 pessoas, a Senhora disse-lhes que era a ‘Senhora do Rosário’ e que fizessem ali uma capela em Sua honra. Depois da aparição, todos os presentes observaram o milagre prometido às três crianças em Julho e Setembro: o sol, assemelhando-se a um disco de prata, podia fitar-se sem dificuldade e girava sobre si mesmo como uma roda de fogo, parecendo precipitar-se na terra.

Posteriormente, sendo Lúcia religiosa de Santa Doroteia, Nossa Senhora apareceu-lhe novamente em Espanha (10 de Dezembro de 1925 e 15 de Fevereiro de 1926, no Convento de Pontevedra, e na noite de 13/14 de Junho de 1929, no Convento de Tuy), pedindo a devoção dos cinco primeiros sábados (rezar o terço, meditar nos mistérios do Rosário, confessar-se e receber a Sagrada Comunhão, em reparação dos pecados cometidos contra o Imaculado Coração de Maria) e a Consagração da Rússia ao mesmo Imaculado Coração. Este pedido já Nossa Senhora o anunciara em 13 de Julho de 1917, na parte já revelada do chamado ‘Segredo de Fátima’.

Anos mais tarde, a Ir. Lúcia conta ainda que, entre Abril e Outubro de 1916, tinha aparecido um Anjo aos três videntes, por três vezes, duas na Loca do Cabeço e outra junto ao poço do quintal da casa de Lúcia, convidando-os à oração e penitência.

Desde 1917, não mais cessaram de ir à Cova da Iria milhares e milhares de peregrinos de todo o mundo, primeiro nos dias 13 de cada mês, depois nos meses de férias de Verão e Inverno, e agora cada vez mais nos fins de semana e no dia-a-dia, num montante anual de quatro milhões.

Histórico:

A Comunidade de Nossa Senhora de Fátima teve seu início através de um grupo de pessoas que se reuniam para o estudo da bíblia (Círculo Bíblico), antes participantes da Comunidade Matriz de São João Batista, viram a necessidade de uma comunidade local e assim iniciaram as atividades desta em uma garagem localizada na rua: Alfredo Alves de Oliveira (ant. Corrêa do Lago).

Formada basicamente por portugueses e descendentes, optou-se por Padroeira Nossa Senhora, usando a denominação de Fátima. Atualmente as datas de seu início são confusas, pois a Paróquia tem em seu registro uma data no ano de 1979 e a diocese têm se registro no ano de 1960.

Através de doações foi comprado o terreno que fica à rua Santa Maria n.º 112, onde foram construídos uma casa e um salão que serviu durante vários anos como local de celebração das missas. Passado alguns anos nesta localidade, recebemos da senhora Maria Joana, vizinha ao lado esquerdo da comunidade, hoje falecida, a doação se deu terreno para que fosse construída uma capela para nossa igreja.

Durante anos a comunidade teve à sua frente seus fundadores como dirigentes, que deram seguimento a construção do prédio. Por desentendimentos entre os mesmos, muitos dos participantes e dirigentes da comunidade voltaram a sua Terra Natal e/ou voltaram a Igreja Matriz de São João Batista, deixando a comunidade de Nossa Senhora de Fátima sob a presidência de Clarisse, uma mulher, motivo este, entre os causadores da desavença ocorrida.

Sem recursos antes vindos em grande parte das famílias portuguesas, e com poucos membros ativos, a comunidade passou por muitas dificuldades para continuar funcionando, vários membros abandonaram.

Com os poucos adultos que ainda permaneciam ativos, Clarisse se reuniu e formou uma coordenação, (Elza – Secretária, Valéria – Tesoureira, Maria Santos, Maria José e Sebastião – conselheiros), para dar continuidade aos trabalhos e administrar a comunidade, ainda com dificuldades para a caminhada e com pouquíssimos membros os mesmos cogitaram a hipótese de fechar a comunidade como já havia acontecido com outras comunidades irmãs a nossa volta.

Não admitindo o fechamento da comunidade Clarisse, reuniu as crianças da igreja, mais ou menos 13 crianças, (Adilson, Daniela, Davi, William, Michele, Sabrina, Rafael, Ricardo, Fernando, Marcelo, entre outros), todas entre 10 e 14 anos, conversou sobre o que estava acontecendo e pediu ajuda para tocar a comunidade, as mesmas não só aceitaram, como iniciaram prontamente a atuação. Clarisse convidou um jovem mais velho chamado Marcelo, que sabia tocar violão para a comunidade e este treinou algumas das crianças para tocar durante as celebrações.

As pastorais começaram a ser reorganizadas e revitalizadas. As crianças assumiram a liturgia, animando, acolhendo, lendo e tocando, formaram um grupo jovem chamado Sal da Terra. Os jovens assumiram junto a coordenação durante vários anos até a chegada do Frei Reinaldo a está paróquia o Barracão, hoje das comunidades.

Com a ajuda da irmã Nilsa da Casa da Criança, as crianças mais velhas começaram a assumir a catequese, círculo bíblico e outras pastorais, encontramos algumas dificuldades neste período devido a não aceitação de algumas comunidades irmãs devido a idade dos adolescentes que estavam assumindo as pastorais.

Passados alguns anos Clarisse decide voltar para Portugal e deixa a comunidade sob a responsabilidade dos demais membros da coordenação e dos jovens que continuaram em suas atuações desde o início. Grandes dificuldades surgiram nesse período, pois muitos integrantes deixaram a comunidade, pois diziam estar lá, por terem sido motivados pela Clarisse.

A coordenação mais uma vez pensa em fechar as portas, mas por intervenção dos jovens e das crianças da catequese, muita briga ocorreu para que isso não acontecesse, A celebração da palavra, as coordenações de pastorais, reuniões paroquiais, regionais e diocesanas passaram ser assumidas pelos jovens em conjunto com o grupo de 4 adultos ainda dispostos a trabalhar.

Começamos a receber ajuda de outras comunidades nos mandando seus ministros Eucarísticos, pois não tínhamos; uma irmã da casa da criança, irmã Maria, fazendo cursos e acompanhando a preparação de nossos jovens; estudantes vindos de Petrópolis dando suporte a todos e maior envolvimento dos Freis Reynaldo e Cid com nosso grupo. Estas demonstrações de fraternidade ajudaram a comunidade a crescer e desenvolver seus grupos para assumir ministérios e administrar a comunidade.

Neste período o grupo jovem Sal da Terra cresceu e se tornou um dos grupos mais atuantes dentro de nossa paróquia. Foi formada uma banda de mesmo nome que atuava nas celebrações e eventos da comunidade e auxiliava outras comunidades irmãs.

Com isso algumas pessoas voltaram, outras surgiram, as pastorais e movimentos começaram a serem reestruturados. Novas pastorais e movimentos surgiram na comunidade: Pastoral da Criança, Ação Social, Ação Cultural, RCC, novos grupos da Legião de Maria, uma Cúria da Legião, o grupo jovem deixou de existir, mas vários de seus antigos integrantes ainda atuam na comunidade em outros seguimentos.

De lá pra cá a comunidade passou a contar com seus ministros eucarísticos e da palavra, catequistas investidos, agentes de pastorais preparados para atuar nos seguimentos e com isso tem conseguido manter uma estrutura com conselho, coordenação comunitária, das pastorais e dos movimentos e assembleias.

A comunidade conseguiu uma grande vitória nesses últimos anos, nossas ultimas coordenações foram voltadas em grande parte para o término de nossas instalações.

2001 – 2003: Coordenador: Paulo, Vice: Ane, Secretária: Dilene, Tesoureiro: Mardem.

2003 – 2005: Coordenador: Davi, Vice: Eliane / Érica, Secretária: Vanessa, Tesoureiro: Bráulio / Marlene.

2005 – 2007: Coordenadora: Maria Santos, Vice: Mardem, Secretária: Rafaela / Ane, Tesoureiro  Ismael.

2007 – 2009: Coordenador: Davi, Vice: Rafaela, Secretária: Deise, Tesoureiro: Ismael.

2009 – 2012:  Coordenadoras:  Érica, Nádia, Claudia, Deise, Edna.

Com a ajuda de a toda paróquia reformamos a casa do caseiro, a cozinha e no dia 13 de maio de 2004, foi inaugurada a Capela e 13 de maio de 2005 a capela do Sacrário.

As obras continuaram foram compramos os bancos, as cadeiras do altar, entre outras benfeitorias que ainda estão sendo realizadas.

Assim terminamos este texto que tenta resgatar a história desta comunidade, que como tantas outras, teve, tem e terá sempre obstáculos a serem superados na caminhada. Pessoas vem, vão, mas o importante é dizer que todas fizeram e fazem parte da história da Comunidade Nossa Senhora de Fátima, apesar dos contratempos, discussões, discordâncias de opinião, foram essas diferenças que construíram e mantêm o que é a comunidade hoje.

Programação semanal:

Domingo: 1º, 2º, 4º e 5º Domingo – Celebração – 8h

3º Domingo – Missa – 8h

Terço Mariano – Após as Celebrações

Catequese – Após as Celebrações

Segunda-feira: Legião de Maria – 16h

Quinta-feira: Grupo da Misericórdia – 19h

1ª Sexta-feira: Missa em Devoção ao Sagrado Coração de Jesus – 19h

Sábado: Legião de Maria (Nossa Senhora de Fátima) – 9h

Legião de Maria (Nossa Senhora de Lourdes) – 16h

1º Sábado: Caminhada com Maria – 16h

Terço na Gruta de N. Sra. de Lourdes – 18h

Catequese – 14h

X